Situada na Avenida Dois de Junho - Centro Cacoal/RO - Fone: (69)3441-2630 - Pastor: Volmir Forster
Fone (69)98145-3985- Pastor: Clairton dos Santos
Cultos aos sábados as 19:30 (20:30 horário de Brasília) com transmissão ao vivo pelo blog

domingo, 18 de abril de 2010

Não nos enganemos

É sempre difícil para o ser humano assumir que é pecador, que faz coisas erradas. A tendência é a de nos considerarmos “bonzinhos” ou, pelo menos, melhores que os outros. Por isso também temos dificuldades para pedir perdão e para corrigirmos as nossas atitudes. Enquanto não admitirmos a doença, o remédio e a cura não nos interessam. O apóstolo João diz que isso equivale a dizer que estamos unidos com Deus e ao mesmo tempo estamos vivendo na escuridão, ou seja: falamos uma coisa e fazemos outra.

Jesus deixa bem claro que é do coração que vêm os maus pensamentos, a imoralidade sexual, os roubos, os crimes de morte, os adultérios, a avareza, as maldades, as mentiras, a inveja, a calúnia, o orgulho e o falar e agir sem pensar nas conseqüências. (Mc 7.21-22).

Não é sábio e não faz bem a si próprio aquele que nega e não assume as suas culpas. Por isso a Bíblia repete seguidamente: Arrependam-se! E o apóstolo João deixa claro que se confessarmos os nossos pecados a Deus, ele cumprirá a promessa e fará o que é correto. Ele perdoará os nossos pecados e nos limpará de toda a maldade, porque o sangue derramado por Jesus Cristo na cruz nos limpa de todo o pecado. (1Jo 1.7,9).

Isso sim é sabedoria e bom senso: sair da escuridão e, reconhecendo com honestidade os seus próprios erros, arrepender-se sinceramente deles, purificar-se no sangue de Cristo e, com ele, viver na luz, como Deus está na luz. Assim vale e pena viver. Se você ainda acha que não faz coisas erradas, pare de enganar a si mesmo e receba o perdão que Cristo nos garantiu.

Oremos: Senhor Deus, ajuda-me a perceber o quanto sou pecador. Conduz-me ao arrependimento e à fé em Cristo. Que eu receba o perdão que tu me dás por amor. Dá-nos o teu Espírito Santo. Amém.

sábado, 27 de fevereiro de 2010

Olha para mim


A tecnologia avançou. As máquinas nos ajudam em quase tudo. As mudanças também chegaram aos bancos. Tudo ficou automático: retirar dinheiro, pagar contas, consultar o saldo, fazer empréstimos. No entanto, algumas agências bancárias não puderam reduzir o número de pessoas atendendo no caixa. A explicação é simples: por mais que o caixa eletrônico facilite a vida, ele não conversa nem olha para as pessoas. E uma das grandes carências das pessoas, hoje, é por outras pessoas que possam olhar e principalmente escutar.

Mesmo sem máquinas eletrônicas, o salmista reconhecia e pedia: “Ó Senhor, meu Deus, olha para mim e responde-me!”. Esse pedido Deus tem cumprido à risca desde o começo de tudo. Quando Adão e Eva se escondiam pelo jardim do Éden com a consciência pesada, Deus procurava por eles. Quando receberam o castigo, Deus lhes deu a esperança de um descendente, Jesus, que esmagaria a cabeça do inimigo. No deserto, quando o povo de Deus precisava de ajuda, Deus olhava e lhes ajudava.

Quando nós, seres humanos, estamos impossibilitados de fazer as pazes com Deus, é ele quem toma a iniciativa de enviar o seu Filho Jesus e deixar-nos desfrutar a paz. Esse olhar carinhoso e cheio de ação continuou até a última página da Bíblia. Deus segue olhando para cada um de nós e convidando: “Escutem! Eu estou à porta e bato. Se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, eu entrarei na sua casa, e nós jantaremos juntos” (Ap 3.20).

Ter a certeza que Deus está nos olhando nos traz alegria e salvação. Ele nos conhece e sabe do que precisamos. Ele olha para nós e nos responde com seu amor.

Oremos: Pai Amado, continua olhando para cada um de nós. Que este olhar nos anime a olhar e ajudar aos outros. Amém.

sábado, 20 de fevereiro de 2010

Deus nos garante a vitória


É possível ganhar sempre? É possível nunca ser derrotado? A maioria das pessoas diz que não. Mesmo o melhor time de futebol não vence todas as partidas. Ganhar e perder faz parte da experiência humana.

Mas será que é possível sair vencedor na grande luta que é a vida humana? Será que é possível alcançar a vitória final? A resposta da Bíblia diz: Sim. É possível ser vitorioso na vida. Mas depende de quem está ao seu lado, lutando por você.

Não é possível sair vencedor da luta da vida se lutamos sozinhos. Também não é possível sair vencedor da luta da vida se estivermos com a companhia errada. Só é possível vencer se Deus estiver ao nosso lado. Este é o grande segredo para obter a vitória: estar com Deus.

O rei Davi experimentou isso em sua própria vida. Ele teve muitas batalhas. Sofreu muitos revezes. Várias vezes ele tentou andar sozinho. Mas foi vitorioso porque Deus estava ao seu lado. Por isso, nos Salmos que escreveu, ele sempre declara seu amor por Deus, sua disposição de ficar com Deus, e sua dependência de Deus.

No final do Salmo 18, o rei Davi declara solenemente louvar a Deus e lhe cantar louvores porque Deus lhe havia dado vitória sobre seus inimigos. O rei Davi disse: “Deus dá grandes vitórias ao seu rei e mostra o seu amor a quem ele escolheu – a Davi e aos seus descendentes, para sempre”(v. 50).

Que bela declaração de confiança e dependência de Deus. Que belo exemplo para nós. Quantas vezes a gente precisa passar por situações extremas para aprender esta lição. Quando a gente não vê mais saída a gente ora pedindo a ajuda de Deus. E Deus nos dá a vitória.

Por isso é importante que em todas as horas da nossa vida saibamos confiar em Deus. A promessa de Deus é clara e segura: ele nos dá a vitória. Se a dúvida, em algum momento, se instalar em nossos corações, olhemos para Jesus. Na vitória de Cristo sobre o mal está a nossa vitória. Na vitória de Cristo sobre a morte está a nossa vitória. Deus, em Cristo, nos dá a vitória. Deus seja louvado por isso.

Oremos: Bondoso Deus e Pai Celestial, obrigado porque em Cristo me dás a vitória. Lembra-me disso em todas as horas da minha vida. Em nome de Jesus. Amém.

sábado, 6 de fevereiro de 2010

Jesus fala conosco hoje


Em um sábado, Jesus curou um homem que era cego. Este homem foi levado à presença dos estudiosos das leis do Antigo Testamento que queriam saber a respeito de quem o havia curado. O homem falou em alto e bom som que havia sido curado por Jesus, que havia sido enviado por Deus. Por causa do que disse, o homem foi expulso da Sinagoga.

Quando soube disso, Jesus foi procurar este homem e se apresentou a ele, pois no momento da cura, ele não havia sido reconhecido. O homem, agora curado, ao saber que estava falando com Jesus, o Filho de Deus, confessou que cria nele e se ajoelhou na sua frente.

Jesus também fala conosco hoje em dia através da sua Palavra, a Bíblia Sagrada. E quer também nos curar de um mal que pode nos levar à morte eterna. Este mal é o pecado. Só através de Jesus podemos obter o perdão de todos os nossos pecados e nos apresentarmos de consciência limpa perante Deus.

Através da Bíblia e desta mensagem você está sendo convidado a crer em Jesus e receber, pela fé nele, a salvação eterna. Se você não resistir a este chamado do Espírito Santo, você será salvo. E se você já confia em Cristo como o seu Salvador, já tem garantida a vida eterna, e é desafiado a falar deste amor de Deus às pessoas, hoje, amanhã, e em todos os momentos. Que Deus abençoe a todos nesta tarefa de amor e de Salvação.

Oremos: Amado Deus, ajuda para que ainda hoje muitas pessoas se ajoelhem diante de ti e confessem que Jesus é o Cristo, o seu Salvador. Mantém-nos nesta fé até o fim. Amém.



Pastor Egon Martim Seibert – Adapt. Equipe CPTN.

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Confiemos no perdão de Deus


Davi, o segundo rei de Israel, havia cometido adultério. Tomou para si a mulher de seu soldado Urias, que estava na frente do campo de batalha. Aliás, não só tomou a esposa dele, mas ainda ordenou que Urias fosse abandonado no front para que fosse morto pelos inimigos.

Ao ser confrontado com o seu pecado pelo profeta Natã, Davi reconheceu que errara contra a lei de Deus e suplicou: “Por causa do teu amor, ó Deus, tem misericórdia de mim. Por causa da tua grande compaixão apaga os meus pecados” (Sl 51.1).

Mas quem é que não peca? Todos os dias nós pecamos por meio de pensamentos, palavras e ações. Também erramos quando deixamos de fazer o que se espera que um filho de Deus faça, por meio de nossas omissões. E, por pecarmos, somos todos merecedores do castigo de Deus.

E o que poderíamos fazer para nos livrar de nossa culpa? Nada, a não ser imitar o rei Davi. Sim, só nos resta chegar diante de Deus em sincero arrependimento, como o fez Davi, e lhe suplicar que tenha compaixão de nós de acordo com a sua bondade, e que segundo a sua misericórdia, ele apague as nossas transgressões, isso é, que definitivamente nos perdoe.

Mas Deus perdoará mesmo? Até mesmo um assassino, um adúltero, como foi Davi? Sim, ele perdoará porque não quer que ninguém se perca, mas que todos se arrependam, creiam em seu Filho Jesus, o Salvador, e tenham a vida eterna. Isto, meu amigo e minha amiga, é certamente verdade.

Oremos: Amado Deus, eu reconheço que sou pecador e que também mereço a tua condenação eterna. Porém, com fé na tua promessa e no teu amor eu peço: tem compaixão de mim e apaga o meu pecado. Em nome de Jesus. Amém.

Pastor Egon Martim Seibert

domingo, 31 de janeiro de 2010

Olho por olho


“Olho por olho, dente por dente”; estas palavras são a norma de vida de muitas pessoas ainda hoje. Elas expressam um acentuado espírito vingativo e significam que a pessoa não deixa passar nada sem uma resposta equivalente à violência recebida.

Mas o discurso de Jesus é diferente. Ele diz que se alguém nos der um tapa na cara, devemos oferecer também o outro lado, e se alguém nos processar para tomar de nós um casaco, entreguemos também toda a roupa, e, por fim, se alguém nos obrigar a caminhar um quilômetro, caminhemos dois.

Se isso é surpreendente, prestem atenção ao que ele afirma mais adiante, no mesmo sermão do monte: “Amem os seus inimigos e orem pelos que perseguem vocês. Sejam perfeitos em amor, assim como é perfeito o Pai de vocês, que está no céu.” (Mt 5.44,48) Como podemos oferecer a face para alguém bater? Como podemos entregar o resto da roupa a quem nos tira um casaco? Como vamos caminhar dois quilômetros porque alguém nos obriga a caminhar um? E mais: Como amar os inimigos e orar pelos que nos perseguem? E como podemos nos tornar tão perfeitos quanto o próprio Deus?

As respostas a estas perguntas só podem ser entendidas assim: Quem quiser se salvar pelos próprios méritos, pelas próprias ações, necessariamente precisa atingir a perfeição de Deus. Só quem é perfeito poderá deixar-se bater, entregar suas roupas, caminhar mais do que exigido e amar os inimigos. Então todos nós estamos perdidos, porque ninguém é perfeito e ninguém é santo. É isto mesmo que Jesus quer ensinar neste texto. Ele quer mostrar como é impossível alguém salvar-se por conta própria. Precisamos de Jesus. Ele deixou-se bater, carregou a cruz, amou os inimigos, entregou suas roupas, enfim, foi perfeito em nosso lugar. Pela fé em Cristo, portanto, a santidade dele nos é atribuída e assim somos salvos. Pense nisto.

Oremos: Bondoso Deus, ajuda-nos a confiar somente em teu Filho, Jesus Cristo, nosso Senhor e Salvador. Amém.



Pastor Paulo Kerte Jung

sábado, 30 de janeiro de 2010

A História

As Confissões Luteranas

Além dos credos Apostólico, Niceno e Atanasiano, a Igreja Luterana possui outras confissões, escritas por Lutero e seus colaboradores. Estas confissões mostram o que a Igreja ensina, conforme a Bíblia. As confissões são: "A Confissão de Ausburgo" (1530), "A Apologia da Confissão de Ausburgo" (1530), "Os Artigos de Esmalcalde" (1537), Os Catecismos Maior e Menor (1529), e "A Fórmula de Concórdia" (1577). Todas estas confissões foram reunidas num só livro e publicadas em 1580, sob o nome de "O Livro de Concórdia". Que é aceito hoje por muitas igrejas luteranas no mundo. Essas igrejas afirmam: "Aceitamos todos os livros canônicos das Escrituras Sagradas do Antigo e Novo Testamentos, como palavra infalível de Deus e, como exposição correta da Escritura Sagrada, aceitamos os livros simbólicos reunidos no Livro de Concórdia." A Bíblia é a única norma e fonte na igreja para doutrina ou praxe.



A Igreja Luterana na América do Norte

O crescimento da Igreja Luterana nos anos posteriores ao período da Reforma foi muito grande. Entre os séculos 16 e 17, o luteranismo já estava presente na Dinamarca, na Noruega, na Suécia, na Finlândia, etc. Em 1817, o governo na Alemanha impôs a união de luteranos e reformados calvinistas. Muitos não aceitaram essa imposição, formando igrejas independentes. Dessas igrejas independentes, alguns emigraram para o Novo Mundo, (cerca do ano 1840) formando igrejas de cunho marcadamente confessional. Luteranos dessa tendência, da Igreja Luterana-Sínodo Missouri dos Estados Unidos (fundado em 1847), vieram para dar assistência a emigrados alemães luteranos no Brasil. Originada das igrejas luteranas independentes confessionais, essa se tornou uma característica marcante na história da IELB. Na sua literatura teológica e devocional, nos temas de suas conferências e convenções, essa tem sido a ênfase mais presente. Esta igreja cresceu rapidamente e logo iniciou atividades missionárias em outros países: Canadá, México, Índia, Coréia, Japão, Nigéria, Brasil, etc.


Os Luteranos no Brasil

Em fins do século XIX soube-se que entre os imigrantes alemães e seus descendentes havia muitos luteranos. Precisavam de atendimento religioso. De 1860 até fins do século foram enviados da Alemanha cerca de 70 pastores, especialmente para o Rio Grande do Sul, em sua maioria procedentes da Igreja Evangélica Unida da Alemanha (uma união de luteranos e reformados). Em 1886 foi organizado o Sínodo Riograndense, hoje a Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil, contando aproximadamente 700.000 membros batizados.


A Igreja Evangélica Luterana do Brasil (IELB)

O Sínodo de Missouri enviou ao Brasil, no ano de 1900, um pastor, Rev. Broders - para investigar a possibilidade missionária. Ele começou o trabalho na localidade de São Pedro, município de Pelotas, Rio Grande do Sul. Aprovado o trabalho, logo chegaram outros missionários. E em 24 de junho de 1904 foi fundada Igreja Evangélica Luterana do Brasil (IELB), na atual cidade de São Pedro do Sul, a 30 km de Santa Maria, RS. A IELB se desenvolveu e ampliou suas atividades para todos os estados do Brasil. Atualmente, possui cerca de 220 mil membros batizados. Além disso, a IELB iniciou a missão no Paraguai (hoje uma igreja-irmã) e em Portugal (ainda mantida).

Segurança só em Jesus.


Estamos vivendo em dias violentos. Muitos saem de casa para o trabalho e não sabem se voltaram em segurança para os seus lares. Investe-se muito dinheiro em segurança pública e particular. Mas, mesmo assim a violência está aumentando. Dê onde virá a segurança? A nossa segurança está no Senhor. Isto não quer dizer que estamos livres da violência, mas que sim que aquele que tem Cristo está em paz com Deus e pode compartilhar o verdadeiro amor com as pessoas. Queremos mais segurança? Amemos o nosso próximo e assim teremos mais paz em nossa sociedade. Senhor, livra-nos da violência e nos ajuda a ser seres pacíficos. Amém.

Oração:

Generoso Deus, obrigado por me aceitares gratuitamente. Obrigado por enviares Jesus, pois graças a ele tenho o perdão dos meus pecados. Como é bom saber que já tenho 100% dos meus pecados perdoados, não por obras e sim pelo teu grande amor por mim. Obrigado por este presente maravilhoso que mudou a minha vida. Amém.